Rua Benjamin Constant

Tu sempre pudeste ser mais do que és. O teu vazio é injustificado - terrenos baldios e noites escuras e silenciosas, e jardins de poucas flores, ausência de rosas.

Mas há dias em que a lama desce dos morros, e rouba com olhos e mãos - por isso és solitária.

Mas há, também, uma gruta guardada por pequenos cordeiros de Deus alimentados por preces luminosas - mãos simples que cultivam a terra.

Volte


©2003 - Todos os direitos reservados. Para contatar o autor, escreva para johnnyvirgil@hotmail.com.