Quando eu ando por estas ruas, quando observo cada uma das fachadas, quando vejo as pessoas atrás dos muros ou dentro de suas casas, eu tenho a impressão de haver parado o tempo.

E os meus passos são guiados por um passado próximo, pela memória das pessoas e, talvez, das coisas...

E as coisas têm as cores do nunca-visto.

Prossiga


©2004 - Todos os direitos reservados. Para contatar o autor, escreva para johnnyvirgil@hotmail.com.